Pular para o conteúdo
Voltar

Voluntários viajam Mato Grosso para integrar Caravana da Transformação

Uma associação foi criada para unir as pessoas que desejam acompanhar o projeto e desenvolver ações voluntárias de saúde e cidadania.
Mel Mendes | GCom-MT

Rodolfo Perdigão/GCom-MT
A | A

Oito mil voluntários foram formados pela Defesa Civil de Mato Grosso em dois anos para atender a Caravana da Transformação. Eles receberam treinamento para atuar em situações de emergência e em eventos de grande porte, principalmente os que envolvem questões de saúde. Muitos se realizaram com trabalho e seguiram o projeto em mais de uma cidade.

Em Sinop, são mais de 400 voluntários atuando no credenciamento, acolhimento e orientação ao público. Entre eles, 23 já trabalharam em edições anteriores. Marta Magalhães Pereira, por exemplo, é umas das três voluntárias vindas de Barra do Garças, cidade que sediou a 8ª edição da Caravana da Transformação.

Desde então, acompanhou o projeto em Juína, Tangará da Serra, Rondonópolis, Cáceres e Cuiabá. Com Sinop, Marta completa sete caravanas e é a voluntária mais experiente do grupo, servindo como referência e inspiração para os novos participantes.

“Na época que a caravana foi para Barra do Garças, eu fiz o curso, gostei do que foi passado e achei muito gratificante o trabalho. Senti a necessidade de estar junto, de abraçar o projeto, porque ele traz felicidade pra muita gente. A gente vê a alegria dessas pessoas sendo beneficiadas e isso me motivou a continuar”, contou a voluntária.

Toda essa experiência resultou na criação da Associação dos Voluntários de Mato Grosso, com sede em Barra do Garças, de onde Marta é a atual presidente. “O trabalho na Caravana foi tão contagiante que a gente resolveu montar a associação. A gente já desenvolveu algumas ações e eventos na região e a ideia é fomentar esse espírito solidário e trazer mais pessoas”.

A entidade hoje conta com mais de 300 associados no Vale do Araguaia e, segundo Marta, já existem grupos se organizando em Sinop e Rondonópolis. “Eu defino Caravana como uma das melhores coisas acontecidas em Mato Grosso, porque aqui a gente sabe o verdadeiro valor da solidariedade. Ser voluntário enriquece o espírito, enche a gente de alegria e dá um sentido melhor pra nossa vida. Esperamos que essa semente se espalhe”, completou.

A pensionista Vanir de Oliveira Butarelli, de 64 anos, foi voluntária na 13ª Caravana da Transformação, em Cuiabá. Como sofria com problemas de visão há alguns anos, aproveitou para fazer uma consulta e se tornou também paciente do programa do Governo do Estado. Vanir foi submetida à cirurgia de catarata nos dois olhos e agora ela é uma das 15 voluntárias vindas da capital para colaborar com a equipe de Sinop.

“Em Cuiabá eu fui paciente e recebi o carinho dos outros voluntários de lá. Fiz a cirurgia lá e já vou aproveitar a caravana de Sinop para fazer o pós-operatório de 30 dias. Depois da cirurgia minha vista melhorou muito. Toda coisa que eu ia fazer ficava difícil porque não enxergava, agora já posso ler meus romances, ler gibis e fazer palavras cruzadas”, contou animada.

Sempre com um sorriso no rosto para receber o público, ela garante que a experiência de ter sido paciente reforçou o sentimento de solidariedade. “Depois que fui paciente e vi como funciona tenho ainda mais orgulho de ser voluntária aqui. Isso aqui não tem preço. Eu amo isso e sinto como se fosse uma grande família. Sou a mais velha do grupo e eu falo que sou a mãezona deles e isso me motiva. Eu amo ser voluntária! Não tem coisa melhor!”.

14ª Caravana

A Caravana de Sinop conta ainda com dois voluntários vindos de Rondonópolis, um de São José dos Quatro Marcos, um de Alta Floresta e um de Juína. O evento ocorre no estacionamento do Estádio Gigante do Norte até o dia 02 de junho. Além de Sinop, esta edição atende pacientes de Sorriso, Cláudia, Feliz Natal, Santa Carmem, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Lucas do Rio Verde, Nova Maringá, Nova Mutum, Nova Ubiratã, São José do Rio Claro, Santa Rita do Trivelato, Tapurah, Vera, Diamantino, Tabaporã, União do Sul, Nova Santa Helena, Terra Nova do Norte, Colíder, Guarantã do Norte, Marcelãndia, Novo Mundo, Peixoto de Azevedo e Apiacás.





Editorias